Página Principal Sobre Vitória Pamplona Livro de Visitas Parceiros e Links Contato
 
 
Atendimento no Pós-Parto e na Amamentação
Cursos para Profissionais
Psicodrama
Sexualidade
Artigos
Eventos
 
 
Desenvolvido por FW2 - Agência Digital
 
 

Meu presente de Dia das Crianças

O primeiro melhor presente que pode ser dado a uma criança é a mãe ter uma gestação tranquila e bem assistida familiar e profissionalmente. Mas, a vida às vezes não espera que a gestação acabe para aparecerem problemas.

Que fazer se durante a gestação temos um problema que nos deixa estressada? Conversar com o bebê ajuda, falando em voz alta e explicando a ele que o problema não é com ele. Quem não se sente à vontade de falar, pode apenas pensar uma mensagem de tranquilização para o bebê.

O segundo melhor presente é dar um parto sem violência, que respeite o momento da chegada, o ritmo do trabalho de parto, o momento do nascimento, uma chegada ao mundo com o mínimo de intervenções desnecessárias. Mas, e se isso não foi possível por que a equipe que ajudou no parto não teve este respeito? Procurar ficar com o bebê próximo de si, o mais breve e o máximo de tempo, embalá-lo, cantar para ele. Até três meses de idade o bebê precisa de muito embalo, pois estava em meio líquido e isto o embalava constantemente. O bebê não fica manhoso por causa disto. A partir, em geral, do quarto ou quinto mês, ele próprio começar a rolar e se movimentar já não precisando tanto de embalo.

O terceiro melhor presente é amamentá-lo. Mas, às vezes nem sempre é possível. Por exemplo, mãe que é HIV positivo não vai poder amamentar. Ou qualquer outro problema que possa surgir e dificultar ou impedir a amamentação. Que fazer então? Alimentá-lo segurando-o ao colo carinhosamente, transformar este momento em um encontro mãe e filho ou pai e filho.

Mas, o melhor presente para a vida inteira é amar seu filho: observar seu jeito de ser e respeitá-lo, o que não significa deixar fazer tudo que quer. Criança precisa de limites, de ouvir não, mas depois de certa idade com diálogo sobre porque não.  Ainda bebê, quando está engatinhando, se ele vai fazer algo que não pode, você pode falar “não”, sempre com voz firma e retirá-lo do que ele estava fazendo, oferecendo outra alternativa. Pai e mãe  devem estar de acordo sobre o que a criança pode e não pode fazer. Um não pode  tirar a autoridade do outro.Amor e limites com diálogo são presente para a vida inteira.